Refletindo seus medos [parte 2]

Que princípios norteiam esta “mágica bizarra” que a cidade emprega? Para esta pergunta, os livros da linha Storytelling são ricos de hipóteses.

Simbolismos [parte 1]

As grandes histórias nunca são apenas sobre heróis enfrentando obstáculos. Elas são sobre nós. Nossos conflitos internos, nossos sonhos e nossos medos.

A Transição Entre os Mundos [parte 2]

Mergulhar neste universo dantesco pode ser encarado como uma viagem pelos cantos recônditos da própria psiquê (ou pior, da psiguê de outra pessoa). Foi o que aconteceu com James, Angela, Eddie, Alex, Murphy e tantos outros infelizes que visitaram Silent Hill.

A Transição Entre os Mundos [parte 1]

Ao longo de sua estadia na cidade, os personagens serão arrastados para um mundo demoníaco e insano. Uma viagem indesejada, que poderá acontecer de diversas maneiras – dependendo do sadismo e criatividade do Narrador.

Características do “Outro Mundo” [parte 2]

O “outro mundo” que se encontra em Silent Hill é um local atípico. Cheio de metáforas e significados ocultos, ele funciona como um ambiente no qual o Narrador pode inserir diversos temas ou subtextos, enriquecendo a história (e aterrorizando os personagens).

Características do “Outro Mundo” [parte 1]

Ao longo da série, sua aparência e particularidades mudaram sensivelmente de um título para outro […]. Em todo caso, esta realidade alternativa sempre esteve impregnada de diversos subtextos.

Crônicas do “Outro Mundo”

[…] o “Outro Mundo” é também uma síntese dos medos de todas as pessoas. Ele é uma colcha de retalhos feita de mitos e temores fundamentais que assolam a humanidade desde o começo dos tempos.

O “Mundo da Neblina”

“[…] quando acordei… tudo estava assim. Todo mundo parece ter desaparecido… E está nevando lá fora – nesta época do ano! Algo está seriamente errado… Você viu aqueles monstros?! […] Nós dois sabemos que criaturas como aquelas não existem.”

O Chamado de Silent Hill

Ao que parece, a cidade acaba sendo um ponto convergente nestas histórias. Um local para onde todos precisam, em algum momento, se dirigir e lá são mergulhados em provações que apenas uma cidade verdadeiramente amaldiçoada poderia proporcionar.