Manequim Deformado

Os Manequins Deformados entram na lista das criaturas mais estranhas já criadas para um vídeo game. São formados por duas metades inferiores de um corpo feminino (?).

Câncer Insano

Raras criaturas podem ser tão repugnantes quanto o Câncer Insano. Uma grande massa podre, coberta de tumores e cânceres.

Antagonistas

Silent Hill está infestada de criaturas aterrorizantes. Deformadas, demoníacas, inacreditáveis. Elas fazem eco com os traumas, medos e delírios dos próprios protagonistas.

Refletindo seus medos [parte 2]

Que princípios norteiam esta “mágica bizarra” que a cidade emprega? Para esta pergunta, os livros da linha Storytelling são ricos de hipóteses.

Armas de Fogo

Silent Hill é sobre medo, perigo e dor. Os combates deveriam envolver estes três itens, mas a cultura moderna os associa a ação desenfreada.

Armas Brancas

Uma boa história de horror vai explorar a possibilidade de lhe amedrontar com a violência. Por isso que os combates corpo-a-corpo são tão priorizados – eles colocam os personagens dentro da violência.

Personagens de Silent Hill

Lá, estas pessoas são mergulhadas em um jogo mortal onde seus pecados e suas escolhas tomam forma para atormentá-los. Mas, quem são estes “personagens”, e o que eles procuram?

A Transição Entre os Mundos [parte 2]

Mergulhar neste universo dantesco pode ser encarado como uma viagem pelos cantos recônditos da própria psiquê (ou pior, da psiguê de outra pessoa). Foi o que aconteceu com James, Angela, Eddie, Alex, Murphy e tantos outros infelizes que visitaram Silent Hill.

A Transição Entre os Mundos [parte 1]

Ao longo de sua estadia na cidade, os personagens serão arrastados para um mundo demoníaco e insano. Uma viagem indesejada, que poderá acontecer de diversas maneiras – dependendo do sadismo e criatividade do Narrador.

Sistemas de Regras

Os Jogos de Narrativa costumam utilizar regras por diversos motivos. Por vezes para simular a plausibilidade da vida, em outros casos a abitrariedade do universo onde a história ocorre. Colocado assim, não é surpresa que existam incontáveis “sistemas de regras” – cada um com sua própria visão de como são as “regras do mundo”.